Nossa verdadeira humanidade

Dizendo-se sábios, tornaram-se loucos(…)Além do mais, visto que desprezaram o conhecimento de Deus, ele os entregou a uma disposição mental reprovável, para praticarem o que não deviam. Tornaram-se cheios de toda sorte de injustiça, maldade, ganância e depravação. Estão cheios de inveja, homicídio, rivalidades, engano e malícia. São bisbilhoteiros, caluniadores, inimigos de Deus, insolentes, arrogantes e presunçosos; inventam maneiras de praticar o mal; desobedecem a seus pais; são insensatos, desleais, sem amor pela família, implacáveis. Embora conheçam o justo decreto de Deus, de que as pessoas que praticam tais coisas merecem a morte, não somente continuam a praticá-las, mas também aprovam aqueles que as praticam.
Romanos 1:22-32

Eu tenho um colega – que se diz cristão – do qual já fui bem próximo. Este amigo meu, apesar de (pelo menos na época) frequentar uma igreja batista, vivia uma vida em que era impossível o diferenciar de um não cristão. Digo isso em todos os sentidos. A única diferença é que o compromisso dele de domingo, principalmente os de ceia, era um pouco diferente.

Certa vez perguntei a este colega o porquê agia daquela maneira, dado que sua fé deveria proporcionar atitudes diferentes. A resposta dele foi algo mais ou menos assim: “quando eu for mais velho eu vou sério. Por enquanto eu quero curtir a vida.”.

Por mais que possa assustar ouvir uma resposta dessas, este é o pensamento padrão de hoje. Curtir e aproveitar a vida é se entregar àquilo que o coração manda, fazer o que a carne deseja. Ou seja, para eu viver a vida em sua plenitude preciso aproveitar desenfreadamente cada momento, obedecendo aos meus desejos, sejam eles corretos ou não. E aquele que não o faz, é considerado fraco.

Deste modo, para que um jovem seja um jovem pleno, que tira o melhor da vida que lhe foi dada, ele deve pegar todos(as), ser inconsequente, insubmisso, gananciosos, e por aí vai…

Mas Paulo bate de frente com esse pensamento. No capítulo primeiro de Romanos, ele nos mostra que na realidade o contrário é verdadeiro. Quanto mais cometemos pecados e vivemos uma vida entregue aos nossos desejos, mais nos afastamos do que realmente deveríamos ser (v. 28). Como diria Agostinho “o pecado animaliza o homem”. O pecado nos faz agir cada vez mais como animais querendo seguir seus instintos e quebram o nosso modo real de agir.

O pensamento comum de que uma vida entregue aos desejos e luxos é uma vida plena é totalmente falacioso. Viver uma vida plena é viver aquilo que Deus nos criou para ser. E quanto mais nos afastamos disso, menos humanos somos, e mais como animais agimos. Aqueles que acham que são mais sábios por não obedecerem ao Senhor, na verdade são loucos (v. 22). Aquilo que é julgado como sendo bom pelos homens é o castigo de Deus sobre eles (v. 24). Quão tolo é o homem decaído sem a regeneração de nosso Senhor!

Somente conseguiremos encontrar aquilo que fomos criados para ser, aquilo que nos preenche e nos satisfaz ao nos voltarmos para o Autor de tudo isso.

Podemos ver essa verdade no capítulo 4 de João, na conversa com a mulher samaritana. Aquela mulher provavelmente buscava encontrar sua felicidade em seus maridos, podemos ver isso pela quantidade de companheiros que ela teve durante a sua vida. E Jesus sabia disso. Por isso, quando Ele conversa com esta mulher diz para ela, usando parábolas, que toda sede que ela tinha só poderia ser saciada por meio dEle. Não era trocando de marido ou fazendo qualquer outra coisa no mundo. A plenitude de sua vida só seria encontrada Naquele que é pleno por excelência, nosso Senhor Jesus Cristo.

Portanto, que busquemos a plenitude de nossa humanidade não em obediência à desejos pecaminosos, mas em quem é único que pode restaurar nossa humanidade totalmente, nos livrando do pecado e nos tornando novas criaturas, Cristo Jesus, nosso Senhor.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s