A verdadeira fé

Muito se fala sobre fé e ela é uma base da vida cristã, como deveria ser mesmo. No entanto, acho que é possível que grande parte dos cristãos tenha uma noção um tanto quanto equivocada sobre esse aspecto tão importante do cristianismo.
É muito comum encarar a fé como algo sentimental e subjetivo, fora da razão. Muitas pessoas até consideram a fé como uma virtude, como eu fiz durante muito tempo da minha caminhada com Deus. Porém, como definiu muito bem C. S. Lewis em seu livro “Cristianismo Puro e Simples”: “Eu queria saber como ela poderia ser uma virtude – o que existe de moral ou imoral em acreditar ou não num conjunto de princípios? ”. A grande questão é que todas as pessoas utilizam pressupostos, que nada mais são que princípios tidos como verdades absolutas que irão guiar a forma de agir e interpretar aquilo que acontece no mundo. Uma pessoa que acredita na Teoria do Big Bang, por exemplo, utiliza pressupostos que comprovem essa teoria para entender e interpretar tudo que está a sua volta.
A nossa fé deve ser justamente isso. Um conjunto de princípios tidos como verdades absolutas e imutáveis que teremos total confiança e servirão como pressuposto para nossa interpretação do mundo e para guiar nosso comportamento. É claro que esses princípios precisam ser inteiramente fundamentados na Palavra de Deus, pois como podemos observar em Romanos 10.17: “Consequentemente, a fé vem por ouvir a mensagem, e a mensagem é ouvida mediante a palavra de Cristo”. Um exemplo muito forte da necessidade de uma fundamentação firme da fé é o Credo dos Apóstolos, que é uma declaração de Fé da Igreja Primitiva, considerado por muitos um resumo básico de toda a Fé cristã e que é baseado no ensinamento dos apóstolos.
Um problema que acredito ser muito comum, pelo menos aconteceu comigo, é estruturar o seu conceito de fé naquilo que Deus pode fazer e não naquilo que Ele é. Na própria estrutura do Credo é muito claro observar a ênfase nas três pessoas da Divindade. A crença em cada um deles (Pai, Filho e Espírito Santo) é explicitamente mostrada, seguido de seus atos, como por exemplo “a Crença no pai, que criou os Céus e a Terra”. Para deixar mais claro, a crença não é na criação do Pai, a crença é no próprio Pai. Assim, a partir do conhecimento do Pai, do Filho e do Espírito e da confiança total em suas qualidades e ações, temos os pressupostos para a interpretação cristã da vida, utilizando-se da soberania e justiça de Deus. A fé não pode depender das circunstâncias, e sim de Deus.
Se posso ter alguma opinião sobre o assunto, acredito que essa seja uma fé verdadeiramente cristã. Vejo que atos como o de Daniel quando não mudou seus hábitos de relacionamento com Deus mesmo correndo o risco de ser morto por leões, ou de Sadraque, Mesaque e Abede-nego quando não se prostraram diante da estátua do rei mesmo podendo ser queimados na fornalha, ou de Noé ao construir algo totalmente sem sentido para as pessoas, ou de Moisés ao conduzir o povo de Israel pelo deserto, ou de Abraão ao levar seu filho como sacrifício, ou de Paulo alegrando-se mesmo estando preso, são atos inteiramente guiados por uma convicção muito forte da fé cristã, por uma confiança e entrega total a tudo que o Deus Triuno é. E talvez, seja possível achar que é fácil crer dessa forma, pois aconteceram coisas grandiosas com essas pessoas, Daniel andou no meio dos leões, Sadraque, Mesaque e Abede-nego não sofreram uma queimadura, porém, a grande questão é que a fé dessas pessoas incríveis (devido a graça de Deus na vida delas) não estava fundamentada no livramento que Deus poderia dar, mas estava fundamentada na pessoa do Pai, do Filho e do Espírito, simplesmente nisso. A fé de fazer aquilo que agradava a Deus era o que movia essas pessoas. A fé de fazer aquilo que agrada a Deus é o que faz pessoas do Oriente Médio serem cruelmente assassinadas SORRINDO.
Pai, a minha oração é que o Senhor me conceda essa convicção de fé, firme nos princípios bíblicos e em tudo aquilo que o Senhor é, todos os atributos. Deus, que pela tua graça eu possa me manter inalterado em minha confiança, independente do que eu enfrente, por saber que eu dependo, exclusivamente do Deus Pai, do Deus Filho e do Deus Espírito.

Por Eduardo Novi

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s